Cadastre-se em nossa Lista VIP e fique por dentro de nossas novidades Clique aqui

Um dia no Parque Nacional da Serra dos Órgãos – Sede Petrópolis

0

Mal terminou o inverno e o sábado chegou com altas temperaturas e muito calor. Saímos cedo e partimos em direção ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos, com sede em Petrópolis.É uma ótima opção para quem curte natureza, trilhas e um delicioso banho de rio e cachoeira para se refrescar.

COMO CHEGAR

Localizado há cerca de 80km da zona norte do Rio, foram 1h 30 min até chegar no Parque. O acesso é muito mal sinalizado. Chegamos apenas graças ao GPS. De repente, do nada, no meio da rodovia, é indicado um acesso, cruzando um condomínio, chegando em Corrêas, distrito de Petrópolis. Corrêas por sinal é repleto de comércio e tem um supermercado grande no centro, caso deseje reabastecer sua mochila para a trilha.

Não tem estacionamento dentro do parque, mas tem um bem perto, que cobrou R$ 10,00 a diária.

O PARQUE NACIONAL

O PARNASO – Parque Nacional da Serra dos Órgãos – funciona de 8h às 17h e o ingresso do parque em Petrópolis custou R$ 14,00 por pessoa. O parque  possui 3 sedes – Teresópolis, Petrópolis e Guapimirim. A sede de Petrópolis não nos pareceu com boa infraestrutura. De modo geral, não encontramos nenhuma ducha, nenhuma lanchonete e as trilhas pareciam um tanto abandonadas. Também não encontramos nenhum guarda ou colaborador do parque a longo de todo o passeio.

Entrada do Parque Serra dos Orgãos Petrópolis

Entrada do Parque Serra dos Orgãos Petrópolis

Entrada do Parque Serra dos Orgãos Petrópolis

Entrada do Parque Serra dos Orgãos Petrópolis

De um modo geral, a experiência foi ótima. As paisagens que acompanharam todo o passeio são deslumbrantes, tem piscinas naturais formadas pelos poços de banhos de rio, e trilhas bem rústicas. Mas é bom pesquisar e comentar todos os aspectos do passeio para mostrar com transparência o que poderá encontrar por lá 😉

A TRILHA PARA CACHOEIRA VÉU DA NOIVA

Lemos sobre os poços de banhos e a trilha para a Cachoeira Véu da Noiva que poderia ser feita em 3h em média. Começamos pela trilha, reservando os poços para o final. A trilha para cachoeira não é tão fácil. Fizemos a trilha com crianças, e também encontramos crianças até o final, mas requer bastante cuidado pois há trechos estreitos, muitas pedras e ainda é necessário atravessar rios, mesmo que sob pedras. Acompanhe nosso relato =)

Início da Trilha para Cachoeira Véu da Noiva

Início da Trilha para Cachoeira Véu da Noiva

Trilha para Cachoeira Véu da Noiva

Trilha para Cachoeira Véu da Noiva

Vista da Trilha

Vista da Trilha

Bom, uma parte da trilha é bem estreita, o que nos deixou bastante cautelosos pois lemos comentários no Trip Advisor alertando sobre o risco de cascavéis. Então, foi quando decidimos que não faria mal ter um bastão de trilha – muito indicado para dar maior firmeza e segurança, além de permitir estudar previamente o terreno antes de pisar.

Trilha para Cachoeira Véu da Noiva

Trilha estreita para Cachoeira Véu da Noiva

Sentimos falta de placas ao longo da trilha, sinalizando quantos metros faltavam. Além disso, em determinado ponto, nos deparamos com um encontro de pedras, sem nenhuma indicação por onde continuar, acreditando que talvez ali fosse o final. Mas a sorte é que cruzamos com um casal que estava vindo da cachoeira e nos indicou por onde seguir. Foi nesse ponto, quando cruzamos uma pequena queda d’água:

Para continuar a trilha foi necessário atravessar essa pequena queda

Para continuar a trilha, foi necessário atravessar essa pequena queda

Foi necessário atravessar esse rio para chegar na Cachoeira

Foi necessário atravessar esse rio!

Ao longo do caminho, passamos pela Gruta do Presidente e encontros impressionante de troncos enormes de árvores, raízes e muita vegetação densa, típica de Mata Atlântica

Gruta do Presidente

Gruta do Presidente

No final, ficamos encantados com a Cachoeira Véu da Noiva. Depois de atravessar entre as pedras enormes, chegamos numa queda d’água de 30 metros. F a n t á s t i c a!

Entrada da Cachoeira. Foi necessário caminhar entre as pedras.

Entrada da Cachoeira. Foi necessário caminhar entre as pedras.

Cachoeira Véu da Noiva

Cachoeira Véu da Noiva

Cachoeira Véu da Noiva

Cachoeira Véu da Noiva

Na volta, refizemos o caminho e seguimos para os poços, onde é possível sem dúvida tomar um ótimo banho. Paramos no Poço Paraíso para lanchar e nos refrescarmos nas águas, mesmo geladas, pois são um alívio, principalmente após uma trilha mais longa.

POÇOS

O acesso aos poços para banhos são bem fáceis, e as águas são maravilhosas. É apenas recomendado bastante cautela para não escorregar nas pedras, além de sempre ficar em alerta por conta das trombas d’água que são um fenômeno mais recorrente do que imaginamos.

Estamos falando particularmente do Poço Paraíso, que fica a cerca mais ou menos de 500m da entrada e é um dos points de banho no parque.

Trilha para os Poços

Trilha para os Poços

pocos-parque-serra-dos-orgaos-petropolis

Poço Paraíso

ONDE COMER

Para o passeio, nada melhor do que uma mochila abastecida com biscoitos, barrinhas, isotônicos e água. No final do dia, estávamos famintos e cansados.  Quando fazíamos o percurso de volta a Corrêas, encontramos um lugar maravilhoso de comida mineira, preparada a lenha. Era buffet livre, R$ 14,00 por pessoa. Comida deliciosa e ambiente muito acolhedor, super rústico. Super recomendamos – Restaurante do Tourinho. Fica bem próximo ao parque, conforme saímos do estacionamento.

Restaurante Tourinho

Restaurante Tourinho

Restaurante Tourinho - Porco, Galinha, linguiça... hmmm..

Restaurante Tourinho – Porco, Galinha, linguiça… hmmm..

Outras opções estão no centro de Corrêas, lembrando que próximo dali estão Itaipava e o Centro Turístico de Petrópolis. Estes 2 lugares tem postagem a respeito no blog, é só visitar para saber um pouco mais sobre eles 😉


 

CHECKLIST PARA A TRILHA

Para finalizar este post, vamos elencar aqui uma pequena relação de tópicos que podem ser úteis na preparação para o passeio.

Kit banho de cachoeira
Caso curta o banho de rio, não esqueça de ir com o traje de banho por baixo. Na mochila, vale levar um par de havaianas, filtro e saída caso deseje uma forma mais prática de se recompor após o banho.Filtro solar é fundamental para se proteger do sol especialmente ao longo da caminhada, mas não precisa se empanturrar para pouco depois se banhar; afinal será muito produto poluindo a água do rio. Após se molhar, repelente é fundamental para afugentar aqueles mosquitos típicos de cachoeira. Ah sim! E vale a pena aquelas toalhas mágicas de nadador, para ocupar menos volume da mochila.

Acessórios extras
Neste trilha, vimos que um bastão e lanterna não são supérfluos, podem melhorar a experiência garantindo mais segurança e conforto. Também tem apitos, o que pode ser ótimo para crianças caso se percam ou simplesmente se distanciem. Falando em crianças, lenços umedecidos para alguma higienização são pertinentes.

Lanches na mochila e Responsabilidade com o Lixo
Além de água e isotônico, é interessante carregar alimentos leves, como frutas, bolachas, biscoitos de polvilho e barrinhas. Novamente, lembramos que se tiver esquecido algo, tem supermercado no centro de Corrêas. Nunca é demais lembrar de levar alguma sacola para recolher todo o lixo que acumular ao longo do passeio pois evidentemente não há lixeiras ao longo da trilha, mas inevitavelmente terá embalagens/resíduos para descartar depois.

Roupa própria
Caso não tenha um tênis próprio de trilha, leve seu tênis mais confortável, sem pena caso ele retorne destruído após cruzar rios e pedras. Roupas leves, ou as próprias de ginástica, que permitam bastante mobilidade e conforto.

Pós trilha
Se não estiver acostumado, vale adicionar uma pomada do tipo gelol em caso de machucados ou spray para dores musculares. Isso é válido caso não durma na cidade e ainda enfrentará pelo menos 1h30min de trânsito no retorno.

 

Comente pelo Facebook

comentário(s)



Acompanhe as novidades do BLOGVIAGEM seguindo nossas redes sociais :)
- Facebook
- Instagram

Conteúdo Vip

Compartilhe esse post:

Sobre o autor

Meu marido fotografa, e eu escrevo...Sempre com nossos filhos, e às vezes com nosso cachorro, buscamos qualquer novidade e trazemos nossas experiências turísticas para este blog =) Às vezes, não precisa ser longe, não precisa ser caro, não precisam ser muitos dias, basta um olhar generoso e o planejamento certo para transformar ambições em ótimas experiências!

Deixe um comentário