Depois de muitos carnavais fora do Rio, este ano tivemos que lamentavelmente cancelar a viagem para o Nordeste ( de carro! *.*) por motivos de força maior , digamos assim. O Carnaval Carioca é aquele espetáculo que o mundo inteiro conhece, porém nosso perfil já se distanciou daquela farra dos blocos e das escolas de samba. Sem dúvida, são incríveis, mas se a sua tribo não é mais essa, seguem algumas sugestões na contra-mão da algazarra.

Bom, o Carnaval ferve mesmo na Zona Sul e o trânsito fica caótico. Então, a dica é seguir rumo a zona oeste. Se for bem cedinho, vale aquele passeio na praia. Mas depois das 10h/11h, sugerimos seguir rumo a Estrada Grajaú-Jacarepaguá ou rumo ao Alto da Boa Vista. Mesmo assim, vale conferir a programação dos blocos porque há alguns por lá também, é só não coincidir os horários.

1. Parque Chico Mendes

Fica no final do Recreio e chegamos lá apenas graças ao app WAZE. Não colocamos o nome do parque, mas sim o endereço, como destino. Então, contornamos o Terreirão até cair na rua do parque.

Tem estacionamento e o ingresso é gratuito. Logo no início tem um parquinho para crianças, assim como algumas opções de trilha. Não sei se “trilha” é apropriado…talvez caminhadas seja mais adequado. O percurso não tem nenhuma dificuldade, é bem leve, contornando a Lagoa de Marapendi – exceto talvez não seja tão acessível para cadeirantes ou portadores de necessidades especiais porque o relevo é bastante irregular em alguns trechos.

Parque Chico Mendes
Parque Chico Mendes

Encontramos capivaras no caminho, assim como pequenos jacarés. É bastante abafado, mesmo com a vegetação, e carece de infraestrutura..então, o melhor é levar uma pequena mochila com água, lanche, repelente e protetor.

Parque Chico Mendes
Parque Chico Mendes


2. Parque Marapendi

É menor que o Chico Mendes, fica mais p?oximo da Barra do que do Recreio. Estava bastante vazio, a não ser por alguns ciclistas que davam umas voltas por lá. Encontramos apenas uma pequena entrada natural com vista para a Lagoa de Marapendi.

Lagoa de Marapendi - Parque Marapendi
Lagoa de Marapendi – Parque Marapendi

A entrada neste parque foi apenas mais uma parada antes de retornar. Havia um pequeno centro de educação natural, com oficinas de arte – estava fechado – banheiros e estacionamento. É possível fazer um agradável piquenique, mas particularmente, preferimos a Floresta da Tijuca ou Reserva do Grajaú.


3. Trilha na Floresta da Tijuca

Já falamos sobre Floresta da Tijuca em um post exclusivo, mas sempre encontramos alguma novidade quando partimos para lá. Dessa vez, a surpresa foi um recanto maravilhoso, numa pequena trilha sinalizada antes da Entrada para o Centro de Visitantes.

Floresta da Tijuca
Floresta da Tijuca

 

Floresta da Tijuca
Floresta da Tijuca


4. Reserva do Grajaú

O bairro do Grajaú foi área nobre do Rio antes de termos o Leblon como o top, ou seja, há muitas décadas atrás realmente. Porém, o bairro continua emanando um ar mais do que agradável, especialmente familiar. Seja pelos bares, pelas praças ou por ruas tão simpáticas, seja por ser um dos bairros mais “verdes” e ter frequentemente programação para todas as idades aos fins de semana, o Grajaú é uma opção talvez menos óbvia. No coração do bairro, temos a Reserva do Grajaú. Ali, o ponto é ótimo para piqueniques pois é mais reservado, porém cercado. Aos fins de semana, tem movimento suficiente para quem não quer se sentir isolado, sem perder o ar intimista. No Carnaval, tem inevitavelmente os blocos porém em horários muito pontuais. É só conferir e se programar para ir na contra-mão dos blocos. Se não for um piquenique, pode ser uma simples caminhada pelo bairro. Para petiscar após, nada como os famosos pastéis do Bar do Adão.

Reserva do Grajaú
Reserva do Grajaú

 

5. Passeio e almoço na Ilha da Gigoia – Barra da Tijuca

A Ilha da Gigoia fica logo no início da Barra. O programa é escolher um restaurante para almoçar porque a ilha em si não tem atrações.  Estacionamos no Barra Point e seguimos até a pequena estação das embarcações. O acesso é por barco e, ao embarcar, a 1a pergunta é para qual restaurante deseja ir. Eles até oferecem um “tour” pela ilha por R$ 30,00. Porém escolhemos apenas a travessia (ida e volta – R$ 10,00). Escolhemos o Bar do Cícero, que era um dos poucos abertos naquele dia. Achamos os preços bem salgados e os pratos não eram tão bem servidos, mas valeu pela experiência.

Travessia para Ilha da Gigoia - Bar do Cícero
Travessia para Ilha da Gigoia – Bar do Cícero
Travessia para Ilha da Gigoia - Bar do Cícero
Travessia para Ilha da Gigoia – Bar do Cícero


6. Caminhada da Lagoa até o Mirante do Leblon

Para fechar o post, nada como um programa #muitasaude típico de verão. Escolhemos 1 dia para acordar bem cedo e caminhar da Lagoa até o Mirante do Leblon. Estacionamos no Parque dos Patins e seguimos até Ipanema, em direção ao Mirante do Leblon. De lá, na volta, demos um mergulho e tomamos um açaí no MegaMate. Levamos mais ou menos 3h para fazer o passeio, que durou em média 12km (ida e volta). Este foi o único passeio que fizemos sem as crianças.

Caminhada da Lagoa até o Mirante do Leblon
Caminhada da Lagoa até o Mirante do Leblon

da-lagoa-ate-leblon1 mirante-do-leblon

E assim fechamos algumas opções genuinamente cariocas. Cada um destes pontos tem muito mais a ser dito, por isso dedicamos um post exclusivo para cada um deles. Para um pouco mais de informação sobre cada um, é só clicar…

Júlia Soares

Júlia Soares

Sou redatora especializada em turismo e lazer. Decidi unir minhas paixões com a minha profissão, o que me trouxe até aqui: um portal completo e dinâmico com as principais cidades para se fazer turismo =)
Júlia Soares
Compartilhe: